A história da imigração germânica contada no silêncio das esculturas

21/07/2017

O sócio das Esculturas Parque Pedras do Silêncio, Valmor, conta a história da criação e do sucesso do seu empreendimento:


1.  Qual foi sua motivação em abrir este empreendimento? Da onde venho a ideia de se utilizar esculturas?
A motivação de montar o parque veio da ideia de agregar turisticamente a região da Serra Gaúcha, montando um atrativo turístico diferente, que unisse história, cultura, arte e natureza em um único atrativo. Sempre fui um grande apaixonado pela arte da escultura e quando conheci um escultor que trabalhava o arenito, surgiu a ideia de montar o parque, contando a história da imigração germânica da região por intermédio de esculturas, “Uma História contada no silêncio das pedras”.

 

2. Como foi escolhido o lugar para o Parque?
Estrategicamente, a localização entre Gramado e Nova Petrópolis é muito importante, pois por aí temos um grande fluxo de turistas, o que foi decisivo na escolha do local. Ainda a beleza natural do entorno também contribui muito com o atrativo e nisto somos muito privilegiados.


3. Quais os maiores obstáculos enfrentados na concepção do negócio?
Para todo e qualquer negócio se tornar realidade, vários desafios precisam ser superados. Conhecer e estudar muito a área que iremos atuar, conseguir recursos financeiros, achar profissionais para ajudar a colocar esta ideia em prática, escolha do local de instalação, parceiros do negócio e tantos outros. Com o Esculturas Parque Pedras do Silêncio não foi diferente, mas tenho que ressaltar que sempre, eu e meu irmão e sócio, Xico Heckler, conversamos muito e achávamos a melhor saída para cada situação.


4. Quais estratégias utilizadas para atrair o público e fazê-lo retornar?
O tempo de divulgação de um espaço ou de qualquer negócio, também deve ser muito bem calculado e analisado. Mesmo sabendo que isto não acontece do dia para a noite, temos que fazer ações como placas de sinalização de rodovia e divulgação em redes sociais. Divulgação na rede hoteleira e gastronômica da cidade e região foram muito importantes. Também, as parcerias com agências receptivas impulsionaram muito as visitações. Apesar de tudo isso, não podemos deixar de fazer o dever de casa: local sempre impecavelmente bem cuidado e bom atendimento, o que todo turista gosta e merece. Com estas ações, atraímos o público.


5. Desde de o início de sua trajetória com o Parque, qual foi o seu maior aprendizado?
Podemos dizer que um dos grandes aprendizados foi que trabalhando muito, acreditando e fazendo parcerias, dificilmente teremos desafios que não podemos superar.


Entrevistado: Valmor Heckler

Compartilhe esta notícia:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Em breve